José de Alencar #1

Oii galera! Hoje tem um especial José e Alencar.

Cerca de 180 anos o Brasil ganha um grande ícone da literatura, José Martiniano de Alencar, e para prestigiar esse mestre irei falar um pouquinho sobre sua vida e obras, espero que curtam bjus!

Sendo um dos principais romancistas da época Alencar se destacou por escrever romances indianistas a onde demostrava o carinho pela língua brasileira e temas nacionais. Foi autor também de crônicas, críticas peças teatrais.  Alencar um cearense que viveu parte da vida no Rio de Janeiro, cursou Direito em São Paulo, dedicou – se mais tarde a Advocacia e ao Jornalismo.

Com realizações indianistas na prosa de nossa literatura destacam – se três: O Guarani de 1857, Iracema de 1865 e Ubirajara de 1874. Ao contrario de outros escritores que na época visavam e tinham por modelos europeus, Alencar sempre em seus temas usava o índio e o sertão, mas também falava da vida na corte como em Senhora, Diva e Lucíola, e relacionava amor com dinheiro.

Jose de Alencar morreu devidas complicações de sua doença, à Tuberculose, era casado e tinha um filho, as obras de Alencar visava valorizar e compreender a língua, a vida social e cultural do povo brasileiro.

O Guarani foi publicado pela primeira vez como folhetim no Diário do Rio de Janeiro, a história gira basicamente entre Índio Goitacá, Peri, Cecilia, a onde Peri salva Cecilia de um rapto depois de ser batizado, os dois fogem, algum tempo depois uma forte tempestade os surpreendem, os dois sobem em cima de uma palmeira a onde Cecilia espera a morte e Peri lhe conta uma lenda indígena.

“Fez – se no semblante da virgem um ninho de castos rubores e languidos sorrisos: os lábios abriram como as asas  purpúreas de um beijo soltando o voo.
A palmeira arrastada pela torrente impetuosa fugia...

E sumiu – se no horizonte...”
                           (Trecho de O Guarani de Jose de Alencar, 1857).
Imagem da internet

Um comentário:

Oii, agradeço a visitinha! espero que tenha gostado, sua opinião é muito importante!
Bjus!