Crítica: Elysium #4

         














Neill Blomkamp nasceu em Joanesburgo, África do Sul em 1979. Ganhou fama por dirigir o filme “Distrito 9” ao qual foi indicado 4 vezes ao Oscars, incluindo o de Melhor filme.

Lançamento: 20/09/2013
Gênero: Ficção Cientifica.
Avaliação: Image and video hosting by TinyPicImage and video hosting by TinyPicImage and video hosting by TinyPicImage and video hosting by TinyPicImage and video hosting by TinyPicImage and video hosting by TinyPicImage and video hosting by TinyPicImage and video hosting by TinyPic


Elysium é um filme excelente do começo ao fim, o diretor Neil consegue manter uma sequência de cenas impressionante que leva o público a não desgrudar os olhos da tela.

Elysium é uma estação espacial que está próxima a orbita da terra onde os ricos vivem já a população pobre vive na terra que está em total declínio, precisamente em Los Angeles (transformada em uma favela). Desde que criança Max que é vivido por (Matt Damon, o herói da história) deseja ser um cidadão de Elysium que é controlada por Delacourt (Jodie Foster) que defende os limites da estação severamente. Depois de sofrer um acidente Max vê seu sonho mais próximo, e seu passaporte para Elysium está nas mãos de Spider (Wagner Moura, que faz uma bela atuação). O Elenco ainda conta com Alice Braga no papel de Frey (amiga de infância de Max) e Sharlto Copley. 

 Diferenças sociais (pobreza, miséria, saúde precária, condições de trabalho, ainda tendo a questão da imigração), é o tema central do filme claro que misturado com muitas doses de ação. Elysium é mais um daqueles filmes de ficção cientifica que procurar retrata a terra daqui a anos com muita tecnologia ou então com a população a domínio de máquinas ou miséria. Mas a questão aqui é como o diretor Neil consegue manter sua excelente habilidade de retrata assuntos de forma tão grandiosa e excepcional. O filme é primoroso tanto pela escolhas dos personagens (maioria de países onde se retrata muito essa realidade) quanto pela trama (ação, sequência, efeitos) e direção em geral.

Neill Blomkamp se destacou na produção do que foi sua estreia no mundo do cinema com o filme “Distrito 9” uma super e magnífica produção, que o diretor trata do preconceito. Neill tenta trazer a mesma concepção de Distrito 9 para Elysium e se sai muito bem. Alguns críticos afirmam que o filme usa a mesma receita, mas está um pouco distante do primeiro, o que acho que não é bem assim, deve se levar em conta que os dois filmes falam de situações e momentos diferentes. O longa é tão leve e agradável que 1h e 40 min passam voando, ponto positivo (pois filmes grandes demais acabam enrolando muito).


O conflito entre classes sociais num futuro próximo é muito bem desenvolvido por Neill e talvez seja essa a concepção que torne o filme admirável. Então recomendo que assistam a Elysium.

3 comentários:

  1. Nossa, eu queria tanto assistir esse filme, ele tem realmente cara de ser 'o melhor do ano', além de parecer ser muito empolgante!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Beijinhos, Thamires R.
      http://marcaprovisoria.blogspot.com.br/

      Excluir
    2. É muito bom mesmo Thamires, estou até na torcida para que o filme seja indicado ao oscar em várias categorias, recomendo que assista não vai se arrepender!
      Bjs!!!!

      Excluir

Oii, agradeço a visitinha! espero que tenha gostado, sua opinião é muito importante!
Bjus!