4° dia: Oração Incessante


“É trabalho perdido ensinar o povo a volver – se para Deus como aquele que cura suas enfermidades, a menos que seja também ensinado a renunciar aos hábitos nocivos. Para que recebam sua benção em resposta à oração, devem cessar de fazer  mal e aprender a fazer o bem. Devem viver em harmonia com a lei de Deus, tanto a natural como a espiritual” (Ellen G. White, A Ciência do bom Viver, p.227).

Em (Êxodo 17: 8 – 13) temos um acontecimento que nos remete a oração incessante ao nosso Pai, ao nosso Senhor que sempre nos ouve. Neste relato bíblico temos a figura de Moises que pede para Josué ir a batalha contra o inimigo, que neste caso são o Amaleques, enquanto o próprio Moises, Arão e Hur ficariam no cimo do outeiro com o bordão de Deus. Na história vemos que quando Moises abaixa as mãos o povo de Israel prevalecia, quando ele abaixava os amalequista prevaleciam.

Desta forma assim como Moises agiu devemos agir, não devemos deixar de orar nem por um minutos para não coirmos nas tentações de Satanás. Assim como Moises encontrou uma forma de ser ajudado por Arão e Hur, assim devemos pedir essa ajuda a Deus, devemos deixar tudo em suas mãos, orar e saber que é ele o único que pode nos responder!

“Oração contra Satanás – A oração da fé é a grande força do cristão e, com toda a certeza, prevalecerá contra Satanás. Por isso é que ele insinua que não temos necessidade de orar. Ele detesta o nome de Jesus, nosso advogado; e, quando sinceramente vamos a Ele em busca de auxilio, os exércitos de Satanás se alarmam, O ato de negligenciar o exercício da oração serve bem ao seu propósito, pois, assim, seus prodígios de mentira serão acolhidos mais depressa”. (Testemunhos para a igreja, v.1 p.296).  


Se gostar comente!

0 comentários:

Postar um comentário

Oii, agradeço a visitinha! espero que tenha gostado, sua opinião é muito importante!
Bjus!